Franca: Câmara aprova cargos de diretores de escola em primeiro turno

Fonte: GCN

Projeto prevê a escolha dos diretores de escola por concurso interno e não aberto. Atualmente a escolha é por indicação política.          A Câmara Municipal de Franca aprovou a nova forma de contratação dos diretores de escola durante sessão extraordinária nesta quinta-feira, 16.
Os vereadores precisaram derrubar o parecer jurídico contrário elaborado pelas Comissões. Em seguida, votaram o projeto com duas emendas. O prazo para uma nova avaliação do trabalho dos diretores será de 1 ano e meio. A proposta anterior era para dois anos, podendo se estender para o mesmo período. A outra emenda inserida foi a retirada da nomenclatura Função Gratificada, substituída por Direção Escolar.                                                                                                                                                                                                              O projeto prevê a escolha dos diretores de escola por concurso interno e não aberto. Atualmente a escolha é por indicação política.       A votação ficou 10 votos a 3. Carlinho Petrópolis não votou por estar em viagem a Brasília.

“A Câmara teve muita coragem. Fiquei admirado pela lealdade de alguns vereadores com o Executivo. Eles estão chamando a responsabilidade para si, inclusive pode resultar em crime de responsabilidade para a Câmara. É a quarta vez que o Tribunal de Justiça vai apreciar uma questão que é transparente à inconstitucionalidade”, disse Gilson Pelizaro (PT), ao votar contra.
“Votei favorável porque a gente entende que se as escolas ficarem sem diretores pode prejudicar o andamento do trabalho. Por isso, dei o aval ao prefeito para ele fazer o correto, com algumas emendas adequando o projeto”, destacou Zezinho Cabeleireiro (PP), que votou favorável ao parecer, mas votou para a aprovação do projeto.
Os vereadores que votaram a favor da criação dos cargos foram: Donizete da Farmácia (MDB), Ilton Ferreira (PL), Kaká (PSDB), Lindsay Cardoso (CIDA), Luiz Amaral (REP), Lurdinha Granzotte (PSL), Marcelo Tidy (DEM), Palamoni (PSD), Ronaldo Carvalho (CIDA) e Zezinho Cabeleireiro (PP). Os que votaram contra os cargos foram: Daniel Bassi (PSDB), Della Motta (PODE) e Gilson Pelizaro (PT).
O projeto terá um segundo turno de votação na sessão extraordinária marcada para a próxima segunda-feira.
Computadores
Os vereadores aprovaram a abertura de créditos solicitada pelo Poder Executivo no valor de R$ 6,5 milhões para investimentos em equipamentos para a Secretaria de Educação. O projeto original comtemplava também a desapropriação de uma área localizada na avenida Major Nicácio que seria utilizada para a construção de uma creche. Por conta disso o valor gasto pela Prefeitura seria de R$ 12 milhões.
O projeto, que havia sido adiado anteriormente, sofreu alteração com a retirada da compra do terreno, e foi aprovado por unanimidade, na sessão extraordinária desta quinta-feira.
Readaptação
A Câmara Municipal adiou o projeto do prefeito Alexandre Ferreira sobre readaptação e da limitação funcional. A proposta do Executivo retiraria alguns direitos dos servidores que hoje trabalham em outra função diferente da original.

O pedido de adiamento por sete sessões foi solicitado pela vereadora Lurdinha Granzotte (PSL) e foi aceito pelos demais parlamentares. Vários servidores da prefeitura e o presidente do SindServ, Fernando Nascimento, estiveram no plenário acompanhando a votação.

Recomendado Para Você

Sobre o Autor: Fabrício Guimarães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *